quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Colégio Progresso, a antiga Escola Alemã - Cruzamento entre as ruas Barão do Serro Azul e Inácio Lustosa, onde hoje é a Praça 19 de Dezembro. Data: 11/08/1940. Foto: Domingos Foggiato. Acervo: Cid Destefani. Gazeta do Povo, Coluna Nostalgia (20/08/1989)



Coluna Nostalgia, Cid Destefani (20/08/1989)

"A 'Deutsch Schule', escola alemã da comuna evangélica foi construída na Praça 19 de Dezembro em terreno doado pela Câmara Municipal em 1891. O prédio foi concluído em 1892. Ficava o vetusto edifício na confluência entre as ruas Barão do Serro Azul e Inácio Lustosa. Teve m sua vizinhança construções importantes como o chafariz conhecido por 'Carioca de Baixo', que foi demolido em 1911. Em 1914 a prefeitura construiu ao lado o Mercado Provisório de Curitiba, que ali ficou por largos anos". 



Em primeiro plano, à direita, parte do telhado do mercado público provisório, instalado à Praça Dezenove de Dezembro. À esquerda, a rua Barão do Serro Azul e, ao fundo, o edifício escolar da Deutsch Schule, já com o segundo pavimento. 1914. FONTE: Acervo da Casa da Memória, citado por Regina Maria Schimmelpfeng de Souza na tese de doutorado “Deutsch Schule”, a Escola Alemã de Curitiba. Um olhar histórico (1884-1917) (UFPR, Curitiba, 2006). Figura 12, Pág. 164.

"A escola alemã acolhia em suas salas de aula não somente filhos de germânicos e seus descendentes. Frequentava também ali uma grande quantidade de meninos que não tinham relação com a colônia alemã de Curitiba". 












Foto de Fleury e Kopf (1908). Citado por Regina Maria Schimmelpfeng de Souza na tese A Estrada do Poente: Escola Alemã/Colégio Progresso (1930/1942). Dissertação de mestrado (UFPR, Curitiba, 2002).


"Durante a I Guerra, mais precisamente nos dias 28 e 30 de outubro d 1917, sofreu o estabelecimento grandes quebra-quebras por parte de arruaceiros que, acobertados pela fachada de patriotismo, destruíram móveis e pertences. A escola foi fechada pelo secretário da Instrução Pública, Enéas Marques, ato que prejudicou os quase 500 alunos, brasileiros natos, cujos pais já estavam radicados no Brasil há muitas décadas". 











Fotografia aérea realizada pelo 5º Regimento de Aviação, em 25 de junho de 1935. Acervo particular (Regina Maria Schimmelpfeng de Souza, 2002. Pág. 85)

"Quase dois anos foram levados para serem reparados os estragos produzidos pela turba. A escola reabriu suas dependências reiniciando as aulas em 15 de julho de 1919, já rebatizada como Colégio Progresso. Em 11 de agosto de 1940, quando a fotografia acima foi tirada, o prédio da escola já estava condenado à demolição. A reurbanização da cidade, no projeto que ficou conhecido como “Plano Agache”, previa a construção do Centro Cívico, no fim da Avenida Cândido de Abreu, além do alargamento da rua Barão do Serro Azul, o que aconteceu em 1941". 












Alargamento da Rua Barão do Serro Azul 
(Gazeta do Povo, 07/12/2008)


"O colégio então se mudou para a Rua Coronel Dulcídio, onde hoje funciona a Faculdade de Farmácia, tendo ali encerrada sua função social, fechado que foi por vários motivos, sendo o mais forte a nova guerra mundial, em que o Brasil era inimigo declarado da Alemanha". 













Estudantes em frente à Escola Alemã 
(Gazeta do Povo, 29/11/2012)



"A 'Deutsch Schule' desapareceu, mas ficaram as lembranças nostálgicas das gerações de curitibanos que passaram pelos seus bancos escolares. Se você foi um destes privilegiados, gaste um pouco do seu domingo recordando os antigos colegas. Não esquecendo de fazer uma boa prece aos seus mestres que já se foram".

Nenhum comentário:

Postar um comentário